Despedida

 

Quando eu me for, que não me transforme em uma lágrima em teu rosto; mas na lembrança de um

sorriso, em teu coração. 

Se me amas, não me deixes ser a saudade que faz sofrer, e sim aquela que traz a sensação de companhia. 

Acima de tudo, não te desesperes. 

Pois, se é certo que a morte não existe, o teu desespero ecoará em mim onde eu estiver. 

Não penses em mim como alguém que se foi. 

Pensa, antes, que por algum tempo pude estar a teu lado e envolver-te em meu amor. 

Pensa que sempre estarei presente. 

Haverá um pouco de mim na brisa que te acaricie, no sol que te aqueça, em todo aquele que vieres a amar. 

Poupa-me dos ritos fúnebres, em todas as religiões. 

Pois nenhum sacerdote me encaminhará a Deus. Antes, cada um buscará exaltar o seu deus. 

E um filho não precisa de intermediário, para falar ao seu Pai; ou para encontrar abrigo em Seus braços. 

Poupa-nos a inutilidade dos afagos póstumos.  

Pois só poderás acariciar um corpo vazio; apenas a sensação do teu amor será capaz de afagar-me a alma. 

Não deverás buscar o meu túmulo. 

Pois ali não estarei, e não me poderás encontrar. É na tua lembrança e no teu coração que me

encontrarás, sempre que de mim necessitares. 

Que não te inquiete a preocupação com o meu corpo. 

Porque isto seria como venerar a uma roupa já gasta, apenas porque a vestia quando me conhecestes. 

Conserva-me vivo. 

Porque jamais morrerei em ti, a menos que o desejes. Assim como a rosa não morre, enquanto a

roseira produzir um novo botão. 

Não exaltes as minhas qualidades, nem diminuas os meus defeitos. Seria como se criasses uma

imagem, para justificar o teu amor; como se te envergonhasses, por me amar como fui. 

A nada, ou ninguém, deves culpar pela minha partida. 

Pois nenhuma viagem se encerra antes do porto final. E, se à volta fui convocado,

decerto cumpri a missão recebida. 

Guarda-me contigo.  

Em tudo que te possa ter ensinado, ou que contigo possa ter aprendido. Nos sorrisos e lágrimas que

repartimos, nas alegrias e tristezas que nos tenhamos provocado. 

Assim, verás que nas menores coisas estarei presente. 

E, como toda a vastidão do Universo é insuficiente para separar aqueles que se amam, dia virá em que

de novo estarei a teu lado. 

Então, descobrirás que jamais te deixei.

 

     

(página anterior)          (início)          (próxima página)