A magia

 

 

Buscais a magia. 

Como se fosse algo capaz de resolver todas as vossas dificuldades. Como se pessoas existissem,

que não estivessem sujeitas às regras do Universo. 

Acreditais, acaso, que exista um único peixe cuja vida não obedeça ao que lhe determina o mar? 

Não vos ocorre que, se alguém pudesse manipular forças ocultas, antes de por dinheiro oferecer os

seus serviços, trataria de obter para si próprio o que lhe fostes pedir? 

Deixai-me rir da vossa ingenuidade.  Pois é sabido que apenas o Amor pode levar o

homem a encher o prato de outrem, antes que esteja cheio o seu próprio prato. E, por certo, não

vos ama aquele que vos cobra pela ajuda. 

Guardai-vos, portanto, dos falsos magos; como o deveis fazer dos falsos profetas. Pois uns e outros

não vos trarão senão esperanças passageiras e duradouras desilusões.

De pronto os reconhecereis: são aqueles que vos garantem operar prodígios, e os que falam como se

por suas bocas falasse sempre a própria Verdade. Pois os que falam bem de si próprios, nada fazem

senão tentar convencer-vos de algo em que eles mesmos não acreditam. E os que se julgam donos

da verdade, apenas espalham as próprias mentiras. 

Aprendei que o iluminado não enaltece a própria luz. Antes a oferece, por saber que a luz não lhe

pertence e apenas lhe foi confiada, para que a pudesse distribuir por seus irmãos. 

Aquele que encontrou a sua verdade sabe que cada homem tem uma verdade própria. E, ao oferecer a

que encontrou, apenas espera que cada um, ao ouvi-lo, possa descobrir a verdade que em si

mesmo existe. 

Não penseis, entretanto, que não exista a magia. 

Quem assim pensa, jamais esteve enamorado. Pois o amor é a mais forte das magias, fazendo nascer

um mundo novo para aquele em que toca as suas asas.

A magia existe. E está à vossa volta:

- na ave que se eleva aos céus, vencendo a gravidade:

- na rosa, que surge do botão para espalhar a beleza;

- na gotícula do sêmen, que se transforma em um novo ser;

- nos sonhos, que vos visitam durante a noite;

- na alternância entre o sol e a lua. 

Sim; a magia vos cerca. E está também em vós; nos vossos sentimentos, nas vossas emoções e no mais

simples dos vossos pensamentos.  No verdadeiro Eu, que vos torna capazes de pensar e sentir. 

Viveis entre a magia, na magia e da magia.

Entretanto, à procura de coisas que vos pareçam miraculosas, não vedes os milagres que vos

parecem coisas comuns. Mais uma vez os vossos olhos vos cegam, os ouvidos vos ensurdecem e a

ânsia da busca não vos permite encontrar o que buscais. 

Não é nos que se dizem magos, que encontrareis a magia; como não é nos que se dizem profetas, que

ouvireis a voz do Universo. O que promete, não é aquele que pode e quer dar; este,

simplesmente, dá. 

Não procurais a fruta, senão na árvore; como não procurais o peixe, senão na água. Assim, a cada

coisa deveis procurar onde a podeis encontrar. 

Buscai, pois, a magia onde a encontrareis: na Natureza, em vós mesmos, em tudo o que vos

possa ligar ao Coração do Universo. 

E não espereis que ela vos apareça sob a forma de milagre. Pois as Leis existem, e por ninguém podem

ser desobedecidas. Assim, àquele que se deseja tornar um mago, cabe aprender a interpretar a Lei. 

Como aquele que se pretende tornar um profeta, não pode pretender que seja aceita a sua verdade.

Deve, antes, aprender a respeitar as verdades dos seus irmãos; pois, assim como a planta não brota

senão da semente, não surge o conhecimento senão da procura. 

E àquele que não sabe ouvir não cabe o direito de ser ouvido. 

Eu vos digo que a magia não se encontra ao alcance de vossas mãos, nem à vista de vossos

olhos, nem sob o poder da vossa bolsa. 

Mas em vosso verdadeiro Eu. 

 

     

(página anterior)          (início)          (próxima página)