O vazio que existe em vós

 

 

Eu vos observo, a procurar entender os mistérios do Universo.

Quando, antes, deveríeis tentar entender os vossos próprios mistérios.

Dentro de vós, existe um vazio.

E é este vazio que vos impede de sentir a vida, de entender tudo o que precisais entender. E o que vos impede de sentir

a Vida, de entender tudo o que precisais entender. E que vos impele para a felicidade e a angústia, que tão bem conheceis.

A verdade é que não sois plenos em vós. E é daí que nasce a vossa inquietude. Sois como o rio, que corre eternamente,

procurando conter as suas próprias águas.

Às vezes, encontrais um novo amor. E, como o amor vos completa, tudo o mais passa para segundo plano;

esqueceis as vossas contrariedades, tudo o que, há um minuto, vos fazia falta.

E cantais, e não sentis o passar do tempo. Quase não necessitais, sequer, comer, ou beber, ter roupas ou adereços;

todo o mundo se centraliza em vosso amor, que para vós é tudo que existe.

E isso acontece porque estais completos; porque o vazio, em vós foi preenchido por um sentimento maior, e isso

vos torna uno com o Universo.

Então, não precisais procurar Deus. Porque o encontrais em vossos próprios sentimentos.

E não necessitais de dinheiro, ou bens, ou novos sonhos. O vosso sonho de amor preenche todas as vossas necessidades.

Nem precisais de passatempos, para gastardes as vossas horas. Todo o tempo de que puderdes dispor ainda será pouco,

para que possais sentir o amor.

Tampouco precisareis de drogas, ou de violência. Eis que o amor vos embriaga e convida a desfrutar a paz.

E por estardes em paz, encontrareis a felicidade.

Vede, entretanto, que tudo isso acontece porque já não existe o vazio em vós. Estais plenos, completos, e

nada vos preocupais em descobrir; apenas vos ocupais em ser o que sois.

Oxalá assim sempre pudésseis ser!

Outro seria o mundo, outros seríeis vós.

E, decerto, assim será um dia. Pois os vossos caminhos se dirigem para onde, paciente, vos espera o Pai;

e neste dia, ao vos reintegrardes ao infinito, o vazio já não existirá em vós.

O amor vos preencherá, e abrirá os olhos da vossa alma, para que vos possais enxergar como os irmãos

que realmente sois. Então, cada um de vós abrirá o seu coração e os cordões da sua bolsa, e como

irmãos repartireis as vossas posses e os vossos sentimentos.

Uma nova e cálida luz percorrerá o mundo, afastando as trevas da inquietude, do egoísmo doentio e da miséria.

E, sem essas trevas, onde se poderá esconder o sofrimento?

 

(página anterior)          (início)          (próxima página)